Jornal Folha da Mata - Viçosa / MG

Área do Usuário Assinar Cadastrar Entrar

 

Carioca de Niterói, Paula Rita Koster, ou “Paula Rita protetora dos animais” como se descreve na internet, trabalha com acolhimento de animais de rua há 20 anos, desde quando se mudou para Viçosa. “Eu tinha muitos gatos, mas quando cheguei em Minas, os cães apareceram na minha vida”, diz Paula. Quando chegou em Viçosa, ela e uma outra cuidadora recolhiam cães do antigo Parque da Violeira. Paula conta que, “o local servia como um depósito de animais, íamos até lá e recolhíamos os cães que muitas vezes estavam em más condições, a Prefeitura, naquela época, vendo o meu trabalho, me propôs um acordo onde cederia ração para o cuidado dos animais que eu recolhesse”.

Ca~es

Quase uma centena de animais estão abrigados, hoje, na casa de Paula. Muitos deles, chegam em más condições, e tem de ser encaminhados para tratamento (foto: Acervo Pessoal Paula Rita)


A ajuda durou 10 anos, até o fim de 2017, quando as doações foram interrompidas. Desde então, Paula cuida dos muitos animais dentro de sua casa apenas com doações: “hoje em dia, com a internet, as coisas estão mais fáceis e até consigo bastante ajuda, mas a situação é um pouco complicada quando se tem tantos animais assim”. São aproximadamente 600 quilos de ração por mês e além disso a casa onde Paula vive já não tem mais condições de suportar a convivência diária com tantos animais e, por isso, ela criou uma rifa para angariar recursos para a construção de um canil. “O projeto para construção está orçado em R$ 70 mil, mas estamos tentando arrecadar o dinheiro aos poucos e construir ao menos a base do local para já acomodar os animais”. A campanha pretende arrecadar cerca de R$ 5 mil, que somados a mais R$ 6 mil de materiais doados, vão ser a primeira etapa da obra, que será erguida anexa à casa de Paula.

História da Paula expõe problemas

Não é de hoje que em Viçosa existem problemas com os animais que estão nas ruas, seja por conta do incômodo que alguns desses animais causam à população ou por conta dos maus-tratos sofridos por eles. Só em 2019, segundo a Prefeitura Municipal de Viçosa, foram 71 denúncias de maus-tratos contra animais de rua e, até hoje, Viçosa não possui um local adequado para abrigar estes animais. Recentemente, dois pittbulls foram sacrificados no distrito de São José do Triunfo. O caso aconteceu em janeiro desse ano e gerou muita polêmica nas redes sociais. Entre uma denúncia e outra, Bombeiros e Polícia Militar atenderam a ocorrência mas disseram que não conseguiram encontrar abrigo ou encaminhamento para os cães que estavam colocando em risco moradores daquela região. O Folha da Mata procurou a Sovipa para mais esclarecimentos e segundo Edison Carocci, presidente da associação, “o que aconteceu, foi que, alguém abandonou estes animais próximo ao Clube Campestre e que posteriormente alguém transportou os mesmos e os abandonou na estrada do distrito do Fundão”.

Faltam recursos

Tanto o Corpo de Bombeiros como a Sovipa e a Paula ressaltaram que falta, por parte da administração municipal, a reserva de um lugar apropriado, para que quando episódios como esse se repetirem, a medida de sacrifício (ou até mesmo a rapidez no tratamento de situações como essas) melhorem. Desde o ano passado já existe um projeto da Prefeitura Municipal para a construção de um centro de zoonoses na cidade, mas esta antiga necessidade da população de Viçosa ainda não saiu do papel.

Autor: Folha da Mata

Leia outras notícias

Facebook

Como chegar

Jornal Folha da Mata

Endereço

Dr. Milton Bandeira, 160 - Sala 107 - Centro
Viçosa - MG
CEP: 36570-000

Telefone

(31) 3891-2883