Jornal Folha da Mata - Viçosa / MG

Área do Usuário Assinar Cadastrar Entrar
Moradores de Viçosa e Porto Firme com suspeitas de febre amarela morrem em BH

Três casos de suspeita de febre amarela foram registrados na região de Viçosa nos últimos dias. Dois homens de Porto Firme e um de Viçosa foram internados com suspeita de terem contraído a febre amarela.

Antônio Pontes, de 61 anos, produtor rural morador da região da Estiva, foi internado no CTI (Centro de Terapia Intensiva) do Hospital São Sebastião, em Viçosa, no domingo, 14, apresentando dor abdominal, febre, sinais hemorrágicos e disfunção renal. Ele foi transferido para o Hospital Eduardo Menezes, em Belo Horizonte, na noite de segunda-feira, 15, mas faleceu na manhã da quarta-feira, 17.

Informações de familiares deram conta de que a causa da morte, segundo os médicos que atenderam o paciente em Belo Horizonte, foi mesmo a febre amarela. Ainda de acordo com os familiares da vítima, na cartela de vacinação de Antônio Pontes não havia registro de que ele tivesse sido vacinado contra a febre amarela nos últimos dez anos.

No mesmo hospital de BH também faleceu Fábio Ferreira Gonçalves, de 42 anos, residente em Porto Firme, outra vítima da febre amarela. Ele estava internado no Hospital Eduardo Menezes desde o último dia 15 e teve sua morte confirmada nessa quinta-feira, 18.

De acordo com o secretário de Saúde de Porto Firme, João Rodrigo de Melo Oliveira, Fábio morava na área urbana da cidade, mas teria estado na zona rural de Mariana recentemente, município onde foram registrados dois casos confirmados de febre amarela neste ano.

Com essa, já é a segunda morte por febre amarela registrada na região. O segundo paciente de Porto Firme continua sob cuidados médicos no Hospital São Sebastião, em Viçosa.

Vacinação em Viçosa

Na quarta-feira, 17, o secretário de Saúde de Viçosa, Marcos Schitini, e a equipe da Vigilância Epidemiológica se reuniram com a Gerência Regional de Saúde de Ponte Nova. Depois do encontro foi decidida a ampliação do público alvo da vacina contra a febre amarela na cidade. Idosos, gestantes e puérperas (período que ocorre logo após o parto) passam a fazer parte da lista de pessoas que devem tomar a vacina. A decisão levou em consideração a nota informativa 94/2017, do Programa Nacional de Imunizações, que recomenda a vacinação de pessoas acima de 60 anos, gestantes e mulheres amamentando em regiões com recomendação temporária de vacinação. Com isso, todas as pessoas que estão em Viçosa, com idade acima dos 9 meses, devem ser vacinadas. Gestantes, idosos e puérperas passarão pela triagem da equipe de enfermagem das UBSs antes de tomar a vacina. A meta da Secretaria de Saúde é aumentar a cobertura de vacinação da população de 74% para 85% até o sábado, 20.

A Secretaria Municipal de Saúde de Viçosa está disponibilizando a vacina contra a febre amarela em todas as suas 16 Unidades Básicas de Saúde, das 8 às 15 horas e também na Policlínica Municipal, das 8 às 16 horas.

A Prefeitura de Viçosa recebeu a confirmação da Secretaria de Estado de Saúde a respeito da liberação de 60 mil doses da vacina para a microrregião de Viçosa. Cinco mil doses da vacina foram prontamente disponibilizadas à população viçosense, distribuídas entre as 16 Unidades Básicas de Saúde, além da Policlínica Central. “Não faltará vacina nas unidades. Os estoques serão constantemente repostos à medida em que a procura for aumentando”, ressaltou o secretário.

Na zona rural, a Secretaria de Saúde realiza a busca ativa dos cidadãos que ainda não foram vacinados na região de provável circulação do vírus, que engloba as comunidades da Estiva, Córrego São João, Piúna, Pau-de-Cedro, Luiza, Borcão, Córrego Fundo, Violeira, Cascalho, Vila Chaves e Pedreira. Até a manhã desta quarta-feira, 17, 25 pessoas que ainda não tinham sido vacinadas foram imunizadas. Agora, com a ampliação do público-alvo, a busca ativa será refeita e reforçada em toda a região, com a utilização de pelo menos cinco equipes de saúde volantes.

 

Confira a seguir seis respostas às principais dúvidas sobre febre amarela:

1) Existe mais de uma Febre Amarela?
Sim, existe a febre amarela silvestre e a febre amarela urbana, sendo que a única diferença entre as duas são os mosquitos transmissores da doença. O vírus continua sendo o mesmo, por isso ambas apresentam os mesmos sintomas e a mesma evolução.
A febre amarela silvestre é transmitida pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes, que estão presentes nas matas e na beira dos rios. Já a febre amarela urbana é transmitida pelo famoso mosquito, Aedes aegypti, que é também responsável pela transmissão da Dengue, Zika e Chikungunya. Mas vale esclarecer que a febre amarela urbana não existe no Brasil desde 1942.

2) Macacos infectados com Febre Amarela transmitem a doença aos humanos?
A doença é transmitida apenas pela picada do mosquito que carrega o vírus, por isso não há necessidade de exterminar os macacos doentes, que também são vítimas. Para os paulistanos, a confirmação da febre amarela nos macacos do parque funcionou como um alerta para antecipar a prevenção da doença antes que chegasse à cidade.

3) Pessoas doentes podem transmitir o vírus da Febre Amarela?
Não. A única forma de transmitir a doença é pela picada do mosquito que carrega o vírus.

4) Como prevenir a Febre Amarela?
A melhor opção preventiva contra a doença continua sendo a vacina, que é indicada para bebês com mais de 9 meses e adultos de até 60 anos. O mais recomendado às crianças é tomar a primeira dose da vacina aos 9 meses e um reforço aos 4 anos de idade. Já no caso de adultos, é necessário tomar duas doses com um intervalo de 10 anos. As duas doses são suficientes para imunizar o organismo. Já os bebês com menos de 9 meses, as gestantes, as lactantes, as pessoas com mais de 60 anos e aqueles que possuem HIV ou doenças autoimunes devem receber indicação médica para a vacina. Vale ressaltar que os especialistas indicam um prazo de 10 dias até a vacina ter efeito.
Outras formas de prevenção são o uso de repelentes e também evitar deixar exposto em casa lixo ou recipientes que possam acumular água. Mas é importante dizer que quem já teve a doença, fica imune para o resto da vida.
“A prevenção é sempre o melhor caminho. No caso da febre amarela, a vacinação das pessoas que moram nas proximidades da zona norte de São Paulo cria um ‘cinturão’ de proteção contra o avanço da doença na cidade”, explica Gimenes.

5) Como ter certeza do diagnóstico?
Como os sintomas da febre amarela se assemelham muito com uma gripe comum - febre, dor de cabeça, dores pelo corpo, vômitos e, às vezes, diarreia - é necessário estar atento e procurar um médico logo no primeiro sinal de mal-estar, principalmente os moradores das regiões onde há maior ocorrência da doença, no caso de Viçosa, a zona rural que faz ligação com Porto Firme. Depois de 24 até 48h, as pessoas podem começar a melhorar naturalmente ou a doença pode evoluir para formas mais graves, afetando os rins e o fígado. É apenas nessa fase que o sintoma mais conhecido da doença, a icterícia (também conhecida pelo “amarelão” dos olhos), aparece.

6) Como funciona o tratamento da doença?
O tratamento para a febre amarela é sintomático, ou seja, ele ajuda a aliviar os sintomas da doença. Porém a principal preocupação é sempre manter a pessoa hidratada para que os rins e o fígado não entrem em falência.

 

Viçosa

Em Viçosa 24 mil pessoas estão entre o público-alvo que precisa ser vacinado. Desse número cerca de três mil ainda não foram imunizadas.
O trabalho de bloqueio na região rural de divisa entre Viçosa e Porto Firme está sendo feito em conjunto com as Secretarias de Saúde dos dois Municípios. “Estamos fazendo a busca ativa, de porta em porta, na região de Varginha em um raio de 2 a 8 Km e na zona rural de Porto Firme, para aplicar a vacina e orientar os moradores sobre as medidas de prevenção”, declarou o secretário.
Ainda em relação a prevenção contra a picada do mosquito que transmite a doença, a Prefeitura de Viçosa está distribuindo repelentes para as pessoas vulneráveis que não podem ser vacinadas, como gestantes e crianças de até 9 meses.

 

Coletiva de imprensa

Em entrevista coletiva na tarde da segunda-feira, 15, o prefeito Ângelo Chequer; o secretário de Saúde de Viçosa, Marcos Antônio Amarante Viana Schitini; o secretário de Saúde de Porto Firme, João Rodrigo de Melo Oliveira, o secretário de Agropecuária de Viçosa, Marcos Roberto Fialho; e o chefe do Departamento de Vigilância em Saúde, José de Arimathéa Marques, falaram sobre as providências que estão sendo tomadas em relação aos casos suspeitos de febre amarela.
De acordo com o Marcos Schitini, a Secretaria de Saúde de Viçosa intensificou a vacinação contra a febre amarela nas comunidades rurais viçosenses localizadas próximas à divisa com Porto Firme. A decisão foi tomada após a notificação dos casos suspeitos da doença em Porto Firme e Viçosa de pessoas que teriam frequentado aquela região. Ainda segundo o secretário, em relação ao paciente de Viçosa, o mesmo teria informado que esteve na comunidade da Varginha, que faz divisa com Porto Firme, mas que fica longe da região onde ele reside. De acordo com declaração de Marcos Schitini, não é possível saber onde o paciente teria sido infectado.
Em relação a Porto Firme, o secretário de Saúde da cidade disse que os pacientes com suspeita da doença moram em bairros diferentes na área urbana da cidade, mas que estiveram na zona rural de Mariana recentemente, município onde foram registrados dois casos confirmados de febre amarela neste ano.

 

Autor: Folha da Mata

Leia outras notícias

Facebook

Como chegar

Jornal Folha da Mata

Endereço

Dr. Milton Bandeira, 160 - Sala 107 - Centro
Viçosa - MG
CEP: 36570-000

Telefone

(31) 3891-2883