Jornal Folha da Mata - Viçosa / MG

Área do Usuário Assinar Cadastrar Entrar
Chuvas alteram cronograma de obra na Castello Branco

A Prefeitura Municipal de Viçosa informou, por meio de nota, que os trabalhos de contenção da encosta na avenida Marechal Humberto Castello Branco, com a construção de taludes, iniciadas no último dia 13, já estão com 20% concluídos, conforme cálculos efetuados na terça última, 21, quando já haviam sido retirados 500 caminhões de terra do local. A operação acontece diariamente, inclusive nos finais de semana.
A estimativa da Prefeitura é que se retire dali um total de 3 mil caminhões de terra e que o prazo para conclusão dos serviços, estipulado na primeira reunião técnica, em três semanas, aumentou para cinco semanas, por influência das chuvas no ritmo dos trabalhos.
A retirada da terra resultante da construção dos taludes está sendo feita por etapas e envolve uma máquina retroescavadeira hidráulica, duas pás-carregadeiras e oito caminhões. Enquanto uma retroescavadeira corta os taludes no topo do morro, duas pás-carregadeiras retiram a terra que é desloca para a pista e a depositam na caçamba dos caminhões para ser transportada para um bota-fora localizado em São José do Triunfo.
Dois dos cinco taludes previstos já foram abertos (até a terça-feira). Seguindo a proposta de serviços projetados, após a finalização dos cortes a prefeitura fará a recomposição da vegetação e a construção de um novo sistema de drenagem de águas pluviais no local, com canaletas e escadas hidráulicas. Uma empresa especializada deverá ser contratada para executar essa parte dos trabalhos.
De acordo com o secretário municipal de Obras e Serviços Urbanos, Luiz Vinícius Rangel, “a operação ocorre dentro do esperado, sem grandes surpresas”.

Trânsito Impedido
O trânsito dos coletivos e ônibus intermunicipais, que a Prefeitura, no primeiro momento, previu que fosse permitido, foi bloqueado na manhã de domingo, 10, devido ao grande volume de terra resultante da abertura dos taludes no alto do barranco. Outro fator que pesou na interdição do trânsito no local foram os riscos à segurança decorrentes das manobras dos caminhões.
Devido a interdição, a Viação União alterou o trajeto de todas as linhas de coletivos que passam pela Castello Branco, pegando os usuários de surpresa. Desde o dia 18, sábado, o trajeto dos ônibus no eixo-cidade Castello Branco e vice-versa, passa pela Av. Joaquim Lopes de Faria, Rua dos Passos, Av. Bueno Brandão, Av. Santa Rita, Rua Padre Serafim, Travessa César Santana, Av. PH Rolfs e Rodoviária ou Praça do Rosário. Os ônibus intermunicipais percorrem o mesmo trajeto de saída e chegada ao terminal rodoviário.

Congestionamentos
A mudança nas rotas do trânsito central gerou congestionamento nas ruas que fazem a interligação bairros-centro da cidade. De acordo com o superintendente municipal de Gestão Pública e Governança, Luciano Piovesan, “é aconselhável que os carros de passeio passem pela Via Alternativa e os carros mais pesados passem pela Joaquim Lopes de Faria”. No entanto as ruas já estavam afogadas com o trânsito intenso e ficaram ainda mais com a mudança de rota dos ônibus urbanos e intermunicipais. A mudança de rota dos coletivos desagradou a muitos usuários. De acordo com uma moradora do bairro Santo Antônio, que não quis se identificar, os ônibus que seguiam para região da Barrinha pela Joaquim Lopes de Faria agora estão passando pela Rua dos Passos. Inconformada, ela diz: “Não tenho culpa pelo barranco ter caído, muito menos pela interdição. Preciso do ônibus para trabalhar. Tenho que sair de casa muito antes e ir para um ponto muito mais longe”; Segundo a moradora, trabalhadores do distrito industrial estão ligando para Viação União para reclamar. “Mas eles não fazem nada, não havia necessidade da mudança desta rota”, finalizou.

 

Autor: Folha da Mata

Leia outras notícias

Facebook

Como chegar

Jornal Folha da Mata

Endereço

Dr. Milton Bandeira, 160 - Sala 107 - Centro
Viçosa - MG
CEP: 36570-000

Telefone

(31) 3891-2883